segunda-feira, 18 de julho de 2011

Não acho normal

Na SIC está dar uma reportagem acerca da dor da perda de um filho.
Na TVI está a dar uma reportagem acerca da dor da perda de um filho.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Tempo para tudo, vontade para nada

Acorda às 7h e vê o sol a intrometer-se pelas frinchas da persiana. Vira de lado, mais uma e outra vez. Sai da cama e liga o computador, esqueceu-se de fazer uma pesquisa específica para a procura de emprego. Manda um email, volta para a cama, os olhos ainda pesam. Vira de lado, mais uma e outra vez, liga a televisão e escolhe o programa mais desinteressante. Dorme mais hora e meia. Levanta-se, passeia-se entre a cozinha, a sala e a varanda. Arranja-se, vai lavar o carro, o almoço está à espera no sítio do costume. Café e um cigarro.

Eu podia, como prometido já não sei onde, finalmente organizar as fotografias e escolher umas tantas para começar a encher a 'minha' parede; podia pegar na máquina e brincar aos fotógrafos amadores; podia (re)começar a ler um dos livros que comprei com tanta vontade; podia escrever e escrever; podia ver um dos filmes que me emprestaram e já deviam ter sido devolvidos. Podia até limpar a casa, arrumar, passar a ferro, ver televisão, dormir.
Mas... falta-me alguma coisa. E não é tempo.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

A melhor prenda?

O carinho de todos os que estiveram presentes e o carinho das mensagens e dos telefonemas. Isso, ninguém me pode tirar.

domingo, 3 de julho de 2011