segunda-feira, 28 de maio de 2012

Eu que nem sou capaz de os comer

Hoje utilizei a expressão "matei dois coelhos com uma cajadada só".
Não é uma imagem bonita.

domingo, 27 de maio de 2012

domingo, 13 de maio de 2012

Parabéns, Mana linda!



Dizem que o amor de mãe não se explica. Eu não sei, não sou mãe, mas acredito. Porque da mesma forma eu não sei explicar o amor de irmã.

Era uma vez uma menina pequenina que tinha uma boneca. Uma boneca de vestido castanho, avental às flores e cabelo ruivo. Essa boneca era a sua companheira de então.
Um dia, a menina decidiu que ela e a sua companheira iriam juntas para a Escola e sentou a boneca ao seu lado, no banco de trás do carro que o pai conduzia. Uma vez chegadas ao destino, a menina saltou do banco, despediu-se do pai com um beijo e correu para a entrada da Escola. Mesmo na porta, parou repentinamente e olhou para trás. O carro já estava a arrancar e nem um aceno agitado permitiu que o pai a visse. A menina ficou de imediato com os olhos em lágrimas que depressa lhe rolaram pelas faces. Que tristeza tão grande…
Uma auxiliar aproximou-se e pegou a menina nos braços, “O que foi?...”  -“A minha boneca… A minha boneca ficou no carro….” Ouviu, entre soluços. “Eu quero a minha irmã…” E foram à sala de aula onde estava a irmã da menina e levaram-na para junto dela.
E aquele encontro secou-lhe as lágrimas e aquele abraço afastou-lhe a tristeza.

Esta é a primeira memória que tenho do sentimento que me une à minha irmã. Com ela, tenho a mais bonita história de amor que a minha vida conhece. Obrigada, mana!


quinta-feira, 10 de maio de 2012

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Mania #3

Releio sempre, mas sempre, as sms's antes de enviar.